Padrão Internacional de Gestão Territorial Sustentável

2ª Consulta Pública

Está aberta a 2ª Consulta Pública do Padrão Internacional de Gestão Territorial Sustentável.  As contribuições serão recebidas até o dia 30 de março de 2021,  23:59 (GMT-3, horário de Brasília).

Nesta etapa serão recebidas contribuições referentes apenas aos indicadores de cada Princípio e Critério do Padrão.

Para acessar a versão rascunho do Padrão que contém os Princípios, Critérios e indicadores (sob consulta) clique aqui.

Para acessar o formulário e participar, clique aqui.

 

DEVOLUTIVA 1ª CONSULTA PÚBLICA

A primeira etapa de consulta pública foi realizada entre os dias 20 maio e 19 de julho de 2020.

Durante a 1ª Consulta Pública foram recebidos 177 comentários de 52 instituições,  com contribuições provenientes de 9 países.

Acesse aqui o Relatório Público contendo a devolutiva das contribuições, incluindo os comentários recebidos.

 

SOBRE O PADRÃO INTERNACIONAL DE GESTÃO TERRITORIAL SUSTENTÁVEL

Os desafios mais significativos que enfrentamos na busca da sustentabilidade são questões que acontecem em grandes escalas e que ultrapassam a capacidade de atuação individual ou organizacional. Da mesma forma, processos ecológicos importantes ocorrem em níveis territoriais e ultrapassam os limites de fazendas ou mesmo de cidades inteiras.

Para lidar eficientemente com questões como redução do desmatamento, segurança alimentar, controle de pragas e doenças, sustentabilidade urbana, entre outros temas, visando sempre o bem estar humano, é necessário ampliar a escala de análise e envolver diversos stakeholders.

Assegurar a conectividade entre os ambientes e a integridade ecológica em larga escala é fundamental tanto para a manutenção da economia e dos meios de produção, quanto para nossa própria existência enquanto sociedade.

Sendo assim, é importante a elaboração de um padrão internacional de gestão de território que faça uma análise abrangente e abra oportunidades para a convergência de ações com resultados sociais, econômicos e ambientais positivos para a sustentabilidade territorial.