Como Surgiu a Metodologia LIFE

Aproximadamente 40% da economia mundial se baseia em produtos provenientes da natureza ou seus processos ecológicos.

Todas as organiza√ß√Ķes, independentemente do porte ou setor de atua√ß√£o, impactam de alguma forma o ecossistema, seja pelo uso de mat√©rias primas, √°gua e energia, pela emiss√£o de gases e gera√ß√£o de res√≠duos, pela √°rea ocupada ou seja pelas mudan√ßas no uso do solo.

Ao mesmo tempo, as organiza√ß√Ķes tamb√©m dependem dos servi√ßos fornecidos pela natureza, como o ciclo da √°gua, regula√ß√£o do clima, fornecimento de mat√©ria prima e a regula√ß√£o da qualidade do ar, por exemplo.

Devido a esta dupla rela√ß√£o de impacto e depend√™ncia, o equil√≠brio e manuten√ß√£o dos ecossistemas e a conserva√ß√£o da biodiversidade podem representar tanto um risco para os neg√≥cios, como uma oportunidade de investir em uma a√ß√£o estrat√©gica diferenciada. Reverter as altas taxas de destrui√ß√£o da natureza √© uma necessidade urgente e deveria ser uma das prioridades em todas as organiza√ß√Ķes.

O processo de desenvolvimento da metodologia foi iniciado em 2009, quando um grupo de especialistas, técnicos, consultores, gestores empresariais, representantes do governo, da academia e da sociedade civil trabalharam desenvolvimento de um sistema que considerava:

  • A conserva√ß√£o da biodiversidade como a√ß√£o volunt√°ria;
  • A necessidade de um desempenho em conserva√ß√£o compat√≠vel com os impactos potenciais √† biodiversidade e √† capacidade de investimento, visando fomentar o engajamento dos empreendimentos de todos os setores da economia;
  • A objetividade atrav√©s da quantifica√ß√£o de impactos e pontua√ß√£o das a√ß√Ķes de conserva√ß√£o da natureza a partir de crit√©rios t√©cnicos e cientificamente reconhecidos;

Este processo envolveu mais de 50 especialistas e 150 organiza√ß√Ķes em reuni√Ķes p√ļblicas, reuni√Ķes t√©cnicas e auditorias-piloto, tendo in√≠cio a partir de uma ampla pesquisa em n√≠vel internacional (Benchmarking) sobre as a√ß√Ķes j√° realizadas neste sentido.

Benchmarking

Em 2008, antes mesmo da cria√ß√£o do Instituto LIFE, uma ampla e extensiva pesquisa foi realizada no sentido de garantir a inova√ß√£o do mecanismo a ser desenvolvido, com foco em a√ß√Ķes de conserva√ß√£o da natureza, aplic√°vel a todo o setor empresarial, independentemente de porte ou ramo de atividade das organiza√ß√Ķes, e ao mesmo tempo diferenciando o desempenho requerido em fun√ß√£o das especificidades de cada neg√≥cio.

Formação do Grupo de Trabalho

Um dos primeiros passos do desenvolvimento da Metodologia foi a criação de uma equipe multidisciplinar de especialistas, biólogos, matemáticos, engenheiros e gestores ambientais, que, através de um trabalho complexo e integrado, desenvolveram a Metodologia LIFE.

Participação de stakeholders

Para o desenvolvimento da metodologia, foram realizados v√°rios processos de consulta a stakeholders, como: reuni√Ķes p√ļblicas com ONGs, academia, governos e empresas; reuni√Ķes t√©cnicas com diversos especialistas das √°reas de gest√£o ambiental e de conserva√ß√£o da natureza; disponibiliza√ß√£o de documentos e informa√ß√Ķes via website; cria√ß√£o de um Comit√™ T√©cnico Cient√≠fico; e cria√ß√£o de uma Comiss√£o T√©cnica Permanente.

Avaliação in loco

O teste e o aprimoramento da metodologia para o lan√ßamento de sua Vers√£o 1.0 contou ainda com avalia√ß√Ķes in loco realizadas em organiza√ß√Ķes de distintos portes e setores localizadas em diferentes biomas. Essas avalia√ß√Ķes foram realizadas por uma equipe com ampla experi√™ncia.